Regra de regulamentação comercial proposta sobre práticas de vendas de revendedores de automóveis pode afetar significativamente o financiamento de automóveis – Publicações

lao flash






24 de junho de 2022

Com uma votação de 4 a 1 em 23 de junho de 2022, a Comissão Federal de Comércio dos EUA (FTC) emitiu uma proposta de notificação de regulamentação que visa diretamente mudar a maneira como os comerciantes interagem com os clientes no processo de financiamento de automóveis, com um impacto secundário, mas material em ambos os negócios: Original Equipment Manufacturer (OEM) e outras empresas financeiras. A regra proposta segue várias ações de execução da FTC e ordens de aprovação nos últimos dois anos, notadamente Honda BronxE a Tate AutoE as Nápoles que previa quase todas as disposições do regulamento proposto.

Principais disposições

Regra sugerida[1] Você fará o seguinte:

  • Traga algumas práticas comerciais enganosas já proibidas dentro da autoridade de sanções civis da Federal Trade Commission. A Federal Trade Commission (FTC) tem o poder de exigir penalidades civis apenas para práticas comerciais enganosas proibidas pela Regra de Regulamentação Comercial. Ao definir um domínio específico de deturpações feitas durante a venda, arrendamento ou acordo de financiamento de veículos, a regra provavelmente não proibiria qualquer nova conduta, mas sujeitaria as violações desta disposição a penalidades civis de até aproximadamente US$ 50.000 por violação.
  • Autorizar divulgações específicas de novos financiamentos. A regra proposta contornaria os atuais requisitos de divulgação sob os Regulamentos M e Z, exigindo a divulgação clara e visível de informações adicionais sobre o preço de compra do veículo e preços de produtos opcionais. Uma lista de preços para produtos opcionais deve ser publicada no site da agência vendedora.
  • Exigir que os comerciantes obtenham “consentimento informado expresso” dos consumidores para quaisquer taxas relacionadas à venda ou locação. A FTC expandirá o escopo de Nápoles Exigência de consentimento pedido de consentimento informado expresso das taxas de venda e aluguel de veículos para todo o setor. A definição exige a divulgação honesta, clara e transparente, por escrito e oralmente (para transações pessoais), do motivo da cobrança e do valor da taxa, seguida de consentimento afirmativo e inequívoco. Além disso, para produtos opcionais, a regra exige que o revendedor obtenha a recusa por escrito do consumidor de uma oferta de venda do veículo a um preço especificado sem produtos opcionais antes que o revendedor possa cobrar do mutuário as opções que o comprador aceitou.
  • Proibição da venda de produtos e serviços adicionais que “não proporcionem nenhum benefício” ao consumidor. A regra proposta visa produtos e serviços que a Federal Trade Commission acredita que não agregam valor a nenhum consumidor – como produtos de pneus de nitrogênio que não contêm mais do que nitrogênio atmosférico – e aqueles que não fornecem valor a um consumidor específico – como, sob FTC contratos, proteção de ativos Cobertura garantida (GAP) é quando a relação empréstimo-valor (LTV) já é baixa ou a cobertura de garantias é duplicada. A última categoria será a mais subjetiva e difícil de avaliar.
  • Imponha um requisito de manutenção de registros de dois anos aos comerciantes. Os comerciantes serão obrigados a criar e manter registros que demonstrem conformidade, incluindo anúncios, listas de preços, correspondência de clientes, documentos de financiamento e contas de LTV para todas as vendas de cobertura GAP e reclamações de clientes.

contexto

A regra vem após anos de declarações de comissários democratas da FTC em resposta a ações de fiscalização contra concessionárias de automóveis que criticam a maneira como os carros são vendidos e financiados nos Estados Unidos como um mercado “quebrado” que precisa de intervenção regulatória.

Nos últimos 10 anos, a FTC apresentou mais de 50 ações de aplicação da lei relacionadas a automóveis e ajudou a conduzir duas pesquisas nacionais de aplicação da lei que incluíram 181 ações de aplicação da lei em todo o estado nessas áreas. Além disso, as reclamações de consumidores relacionadas a carros permanecem entre os 10 principais tipos de reclamações recebidas pela Federal Trade Commission, com mais de 100.000 reclamações de consumidores anualmente nos últimos três anos.

Depois que eu perdi o FTC AMG Um caso na Suprema Corte dos Estados Unidos – que restringiu severamente a capacidade da agência de buscar alívio monetário, pois a agência não realizou primeiro um processo de criação de regras – a agência mudou seu foco em parte para estabelecer regras que pudessem fornecer tal predicado. Sob a Lei Dodd-Frank, a Comissão Federal de Comércio recebeu o poder de emitir regulamentos de proteção ao consumidor que regem as concessionárias de automóveis usando um processo acelerado, tornando a indústria um alvo potencial para ação.

Com uma grande omissão, o escopo da regra se alinha com as principais reivindicações e soluções adotadas em casos recentes e, da mesma forma, acompanha as descobertas do mundo real dos recentes esforços de pesquisa de mercado da Federal Trade Commission. A preocupação da agência com os preços dos produtos opcionais – quais são os termos do comunicado de imprensa oficial da “taxa indesejada” da FTC – também se relaciona com a iniciativa de taxa indesejada do Consumer Financial Protection Bureau (CFPB).

Claramente ausente da base qualquer regulação da codificação mediana, que era um foco importante de ambos Honda Bronx E a Nápoles casos. Embora grande parte da introdução à regra proposta explique o papel das etiquetas no financiamento de automóveis, nada na regra exige divulgações adicionais ou restrições às etiquetas dos revendedores. Tanto o FTC quanto o CFPB se concentraram em preocupações antidiscriminação associadas a marcas comerciais por anos, e pelo menos um atual comissário do FTC pediu explicitamente uma regulamentação de codificação no passado.

Há duas explicações possíveis para essa omissão. Uma é que a agência pode estar disposta a esperar e ver se essas divulgações aprimoradas levam a preços mais competitivos e a redução das disparidades de preços inexplicáveis ​​ao longo das linhas raciais. A outra é que uma segunda lei, mais controversa, pode ser iminente. Mas, ao se concentrar em questões centrais de injustiça e engano que se baseiam em ações de fiscalização anteriores, a agência garantiu o voto do comissário republicano Phillips e pode isolar melhor a regra proposta do desafio.

Implicações para os credores de automóveis

Os efeitos potenciais sobre os próprios comerciantes serão, sem dúvida, significativos. Os efeitos no mercado de empréstimos para automóveis são mais sutis e podem demorar mais para serem sentidos – mas podem não ser menos significativos.

  • Baixos retornos em produtos opcionais. A FTC pretende expressamente que a regra reduza as vendas comerciais de produtos opcionais. A reação dos revendedores pode levar à pressão em todo o mercado de financiamento de automóveis. Os revendedores podem aumentar os preços de venda de carros para compensar a perda de receita ou buscar maiores reservas de revendedores em transações de financiamento. As pressões compensatórias da inflação e taxas de juros mais altas podem significar que os comerciantes interagem de forma imprevisível e variável entre seu público de clientes. Os credores indiretos devem estar preparados para responder a essas mudanças no mercado.
  • portador de risco sobre os cessionários. Embora a regra, como a própria lei da FTC, não contenha um direito especial de operar, muitos estados de atos ou práticas injustas ou enganosas (UDAP) – e muitos lidam com a decisão da FTC através da regra de que a prática é injusta juridicamente justa ou enganoso. Assim, os advogados de clientes e demandantes podem estar mais dispostos a considerar a apresentação de reclamações por conduta do comerciante que alegam violar a regra proposta. A regra do detentor da FTC pode ser lida para permitir que os consumidores registrem essas reivindicações contra seus cessionários por empréstimos indiretos para automóveis – principalmente após uma diretiva de abril de 2021 que rejeita um limite de “transação significativa” na aplicabilidade desta regra. Essas considerações favorecem maior due diligence por parte dos cessionários, critérios para alocação de empréstimos e provisões de compensação por descumprimento.
  • Acompanhe a CFPB e as auditorias estaduais para credores de automóveis. Muitos credores de automóveis são bancos ou outras empresas de financiamento que estão fora da jurisdição da Federal Trade Commission. Mas a FTC, o CFPB e as autoridades estaduais de aplicação da lei, como procuradores-gerais e reguladores financeiros estaduais, estão cooperando estreitamente, e os credores de automóveis devem esperar que essas agências considerem cuidadosamente se compram contratos de parcelamento de varejo (RICs) que cumprem a regra. , com foco particular em produtos financiados opcionais que geram receita de juros adicional para o credor. Historicamente, os oficiais de fiscalização têm tido pouca tolerância com argumentos de que o comerciante é o único responsável pelo cumprimento da regra e os credores devem monitorar os contratos que compram em busca de violações de face e padrões suspeitos; Não há razão para acreditar que isso vai mudar com este desenvolvimento. Como as agências de fiscalização rotineiramente assumem a posição de que os atores primários e secundários têm as mesmas responsabilidades, haverá uma necessidade crescente de due diligence, monitoramento e documentação sobre o processamento e aceitação de RICs e documentação por credores de práticas e taxas inaceitáveis ​​quando eles dispensa RIC. Todas essas são medidas que, paralelamente, ajudarão a mitigar litígios e exposição regulatória a empresas de vendas e finanças.
  • Requisitos adicionais e mais complexos de manutenção de registros e conformidade Crie custos financeiros adicionais para revendedores e credores de automóveis que devem monitorar esses requisitos. O potencial de penalidades significativas para cada violação significa que os custos das medidas de conformidade, embora importantes, são essenciais.

Um aviso de definição de regras proposto busca feedback dentro de 60 dias após ser publicado no Registro Federal. Em sua declaração dissidente, a comissária republicana Kristen Wilson expressou preocupação com as consequências negativas não intencionais da base de inovação e dos consumidores, particularmente comentários da indústria que ajudariam a agência a evitar calcular inadvertidamente o mercado. Também questionei a potencial eficácia e abrangência de tal regra, dada a evolução das práticas de venda: a compra de automóveis ao consumidor passou recentemente a ser online com serviços que ajudam os consumidores a negociar preços e localizar veículos desejados, e algumas empresas introduziram modelos de vendas que eliminam a necessidade para entrar na agência em tudo.

Próximos passos para comerciantes e credores

  • Considere fornecer feedback sobre a regra proposta por meio do processo APA, concentrando-se nos custos e benefícios relativos, bem como no impacto no mercado frágil.
  • Iniciar o processo de revisão de conformidade e operações.
  • As empresas de financiamento de automóveis devem discutir com os revendedores desde o início para que eles possam confirmar a conformidade (ou convênios de conformidade) e possam tomar decisões informadas sobre como proceder com relação à aceitação de atribuições de RIC e mitigar os riscos associados.

Contatos

Se você tiver alguma dúvida ou quiser mais informações sobre as questões discutidas neste ato, entre em contato com qualquer um dos seguintes advogados da Morgan Lewis:

Dallas
David I Montero
Victor H. Cruz

Washington DC
Nicholas M Jess

Boston
Daniel S. viagem

Leave a Comment

Your email address will not be published.